Comunicação I

O Planeta Terra Tem Jeito Jesus Cristo

Jesus Virá Resgatar Seus Fiéis Servos

Jesus Virá Resgatar Seus Fiéis Servos
O Arrebatamento da Igreja A Noiva de Yeshua Jesus Cristo Nosso Eterno Salvador

Jesus Cristo

No Mais Belo Paraiso

A Vinda do Filho do Homem Yeshua Jesus Christ

A Criação do Ser Humano A Mulher

A Criação do Ser Humano A Mulher
A Beleza Feminina Com Lindas Curvas e de Uma Beleza Fascinante

Jesus A Dádiva Maior Do Altíssimo

Jesus A Dádiva Maior Do Altíssimo

Roteiro Turístico de Tiradentes Patrimônio Histórico Cultural

Roteiro Turístico de Tiradentes Patrimônio Histórico Cultural
Onde Visitar em Tiradentes todo o Patrimônio Histórico

Força Aérea Brasileira - Base Aérea de Anápolis



A Base Aérea de Anápolis, no centro do país, criada na década de 1970 para a defesa de Brasília, abriga atualmente uma dúzia de caças Mirage 2000C, adquiridos de segunda mão da França. Com tecnologia da década de 80, a vantagem dos Mirage 2000 sobre os F-5M está na velocidade de Mach 2 e na alta performance em combate, similar a do F-16A. Os Mirage são deslocados para outras bases em exercícios da FAB e também têm, como os F-5M, capacidade de reabastecimento em vôo (aliás, uma das grandes limitações da FAB é o pequeno número de aviões-tanque, outro problema que precisa ser resolvido).

O principal vetor de defesa aérea da FAB é o F-5M (Mike), que é o famoso Northrop F-5E Tiger II modernizado pela Embraer, com aviônicos israelenses da Elbit. O F-5E ganhou uma sobrevida depois da modernização, mas ainda tem sérias limitações, como o pequeno raio de ação com carga bélica e a velocidade máxima de apenas Mach 1.6. A vantagem dos F-5M reside no seu novo radar e na sua capacidade de engajamento BVR, além do alcance visual, proporcionada pelos mísseis Rafael Derby.

Os aviões de ataque A-1 (AMX), que começam a passar por um programa de modernização semelhante ao F-5BR, podem exercer uma função de defesa aérea marginal, em teatros de baixas ameaças, mas sua capacidade de combate aéreo é apenas para auto-defesa.

Restam os A-29 Super Tucano, que são os vetores de defesa aérea na fronteira amazônica, contra vôos ilícitos feitos por pequenas aeronaves.
O Programa F-X2 é vital para que a FAB possa alcançar um novo patamar de credibilidade na defesa do espaço aéreo brasileiro, já que países vizinhos estão se reequipando com vetores muito mais capazes que os nossos, tanto em raio de ação, quanto em capacidade de combate.
Felizmente, uma grande vantagem da FAB diante dos avanços de forças aéreas vizinhas, ainda continua sendo sua capacidade de alerta aéreo e controle (AWACS), proporcionada pelos Embraer R-99A.
Fonte:http://www.milavia.net

Um comentário:

janaina disse...

vcs sao muito importantes pro nosso pais parabens